Bolo de amêndoa (sem amêndoa)

Tinha de publicar hoje este bolo. Uma vez que não vou poder estar na festa da Cláudia nem tão pouco fazer o bolo de aniversário, em homenagem, publico o bolo que é a sua imagem de marca! A Cláudia faz este bolo desde que a conheço, desde a adolescência e é sempre motivo de riso, porque é um bolo aldrabão, mas só no nome! De facto ele não leva amêndoa, e nem sei ao certo por que motivo lhe deram esse nome. Há uns dias pensei em fazer-lhe um bolo bonito, mais elaborado, mais vistoso. No entanto, esta receita pareceu-me a mais indicada para a ocasião, porque tem tudo a ver com ela (tirando a parte de ser um bolo aldrabão). É um bolo simples, tal como ela, mas cheio de virtudes. É muito versátil, pois com esta receita podemos fazer bolos de estilos diferentes, redondos, quadrados, com ou sem recheio, uma torta, etc. Tem uma textura muito suave, macia e fofa. É um bolo grande, com esta receita fiz dois, este e um mais pequeno. Com ele desejo à minha querida amiga um dia muito feliz, muito doce, em todos os sentidos!

Ingredientes:

10 ovos

20 colheres de sopa (rasas) de açúcar

10 colheres de sopa de farinha

2 colheres de chá de fermento em pó

1 colher de sopa de vinho do porto

Preparação:

Separar as gemas das claras. Misturar bem as gemas com o açúcar. Adicionar a farinha e o fermento. Deve obter uma consistência espessa. Juntar o vinho do porto. E por fim as claras em castelo, que devem ser bem envolvidas. A massa do bolo não fica muito liquida. Barrar muito bem uma forma com manteiga e polvilhar com farinha. Verter o preparado na forma e levar ao forno cerca de 30 minutos. Depois de frio polvilhei com açúcar em pó e coloquei umas framboesas para dar um toque mais colorido e porque a fruta acompanha bem este tipo de bolo.

Halloween

O sino da Igreja atira fortes badaladas para o silêncio da noite escura. O frio entranha-se nos ossos. O vento faz ruídos que assustam.

Das serras soltam-se os uivos dos lobos. Os cães da aldeia latem enfurecidamente.  As ruas estão desertas. As pessoas escondem-se em casa…

Nos cemitérios as velas apagam-se. Há vultos perto das campas.Os mortos saem debaixo da terra.  Saltam os muros do cemitério. Zombies vagueiam pelas estradas deixando um rasto de destruição.

As portas das casas começam a ranger. Do céu ouvem-se os risos histéricos das bruxas. Voam com as vassouras por cima das casas e lançam feitiços. A noite promete ser sangrenta. Os vivos tremem de medo!

O terror vem aí… É noite de Halloween! Trick or treat?